TCU some com documento contra Dilma Rousseff

Um fato inadmissível ocorre no TCU.

O tribunal deu trinta dias para Dilma Rousseff tentar explicar as pedaladas fiscais. Esse prazo se esgota no dia 21. Só que no aviso enviado a ela não constam as irregularidades apontadas pelo Ministério Público de Contas — em resumo, o documento com as manobras orçamentárias perpetradas para uso eleitoral.

Mais: o documento do Ministério Público de Contas que descreve as irregularidades eleitoreiras de Dilma Rousseff sumiu do processo dentro do próprio tribunal. Tudo na caluda, tudo feito para facilitar a defesa da petista.

É uma sem-vergonhice. É um escárnio. É um escândalo.

No último dia 3, o procurador Júlio Marcelo de Oliveira enviou um requerimento pedindo explicações ao ministro Augusto Nardes, relator das pedaladas. Até agora, obteve apenas o silêncio. Estamos de olho, Augusto Nardes. Exigimos, mais do que explicações, uma ação rápida para corrigir esse absurdo digno de uma república de bananas.