Executivo da Odebrecht relaciona crescimento da empreiteira a pagamentos de propina

Luiz Eduardo da Rocha Soares, ex-tesoureiro internacional da Odebrecht e integrante do setor de operações estruturadas, disse ao TSE que o “crescimento do faturamento da empresa” está “diretamente” relacionado “ao volume que o setor movimentava”.

Segundo ele, o caixa disponível para o pagamento de propina “ampliou-se consideravelmente”. “Então, a empresa, em crescimento, o setor cresceu junto”.

Não se trata, portanto, de individualizar determinada contrapartida para tentar separar caixa 2 de propina. No caso da Odebrecht, pelo menos, tudoera propina.

Faça o primeiro comentário