Exército abre processo administrativo contra militar vice de Crivella

Exército abre processo administrativo contra militar vice de Crivella

O Exército abriu um processo administrativo contra a tenente-coronel Andréa Firmo, candidata a vice na chapa do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, que tenta a reeleição neste ano, informa o Estadão.

O motivo é o santinho da campanha de Crivella em que a militar aparece vestida com uma farda camuflada e uma boina azul da ONU.

O uso de uniformes em manifestação político-partidária é proibido pelo artigo 77 do Estatuto dos Militares e considerado “transgressão” pelo Regulamento Disciplinar do Exército, com punições que vão de advertência a detenção.

A divulgação das imagens de Andréa Firmo fardada ao lado do prefeito e de Jair Bolsonaro gerou reações negativas nas Forças Armadas, segundo o jornal paulistano.

Após o episódio, o comando do Exército encaminhou uma mensagem à rede interna orientando comandantes em todo o país a terem “especial atenção” para a fiel observância da lei em casos de campanha eleitoral.

A tenente-coronel foi a primeira mulher do Exército a ser comandante em uma missão de paz na ONU, no Saara. A campanha de Crivella alegou que não há nenhum símbolo do Exército na imagem divulgada.

 

Leia mais: OS ENCONTROS SECRETOS DE BOLSONARO COM O 'ANJO'
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 16 comentários
TOPO