Exército acusa USP de “ataque político”

A USP cancelou a matrícula de alunos provenientes de escolas mantidas pelo Exército, alegando que eles não se enquadram no regime de cotas para alunos de escolas públicas  pelo qual foram aprovados.

Os alunos pagam uma quantia mensal, mas as escolas são consideradas oficiais, como decidiu o STF, diz o Exército. Os militares consideram a atitude da USP um “ataque político” contra o governo de Jair Bolsonaro.

João Doria, relata o Estadão, foi acionado pelo Comando Militar do Sudeste, para ajudar a resolver o impasse, uma vez que a USP é mantida pelo governo paulista. O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, também entrou na história.

Comentários

  • Amadeu -

    Sabemos do aparelhamento das universidades estatais pelo PT, PCdo B e PSOL Há um tempo pra desmobilização desse pessoal e devemos ter paciência! O novo chegou, como sempre.

  • JOSE -

    USP Livre!

  • Norberto -

    Fazer oque se o ensino militar é extremamente superior do ensino civil? Admirem.

Ler 382 comentários