Exoneração de Saraiva foi "clara retaliação", diz senador Contarato

Exoneração de Saraiva foi “clara retaliação”, diz senador Contarato
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) disse nesta sexta (16) que a decisão de exonerar o delegado Alexandre Saraiva do comando da PF no Amazonas “foi uma clara retaliação”.

“A exoneração foi uma clara retaliação, de modo que sequer tiveram pudor em disfarçar a relação de causa e efeito”, disse o senador a O Antagonista. “O delegado agiu por dever de ofício: se não relatasse a pressão indevida, estaria prevaricando e, ele próprio, cometendo um crime. Portanto, cumpriu rigorosamente a lei, escancarando o funcionamento intestino da gestão Salles, que milita abertamente em favor de desmatadores. Na melhor das hipóteses, o ocorrido se trata do crime de advocacia administrativa. É gravíssimo!”

O ministro [Ricardo Salles] não nega sua intenção: passar a toda a boiada e assediar aqueles que pretendam zelar pelo cumprimento da legislação ambiental”, acrescentou.

Contarato fez referência a uma frase de Salles durante a hoje famosa reunião ministerial de 22 de abril de 2020: “[E] ir passando a boiada e mudando todo o regramento, e simplificando normas”. A reunião foi gravada em vídeo.

“Estamos falando de interesses bilionários, que lucram com a exploração predatória e clandestina dos biomas e, agora, contam com próceres infiltrados na máquina pública”, disse o senador.

Leia também:

Chefe da PF no Amazonas ainda não foi notificado de exoneração

As portarias da “boiada” de Ricardo Salles

Leia mais: Pois é, nada mudou da esquerda para a direita.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO