“A experiência de Macron pode ser replicada”

Guillaume Liegey, um dos principais estrategistas da campanha vitoriosa de Emannuel Macron, fez sua análise do cenário político no Brasil.

Diante do afastamento entre a classe política e o eleitor, o consultor disse à Exame que é preciso derrotar candidatos populistas.

“A experiência de Macron pode ser replicada. Ele se inspirou na campanha de Barack Obama em 2008. Tenho tido contato com candidatos no Brasil. Falei com pessoas que querem criar movimentos políticos. Dada a crise política brasileira, todos devem estar abertos a novas formas de fazer campanha. Não há nada a perder.”

19 comentários

  1. Na realidade o que quis dizer o sr. Guillaume Liegey?

    Simples! Seja socialista a vida inteira, participe de um governo socialista, do partido socialista, perceba que as esquerdas estão sendo derrotadas mundo afora, pule fora do governo do qual frequentou por 5 anos, apresente “reformas pontuais” para os trouxas, pose de centrista pra enganar o resto dos trouxas e se eleja presidente.

    Só que o povo francês percebeu a tramoia e hoje o rejeita. Tarde demais, mas acordaram.

  2. Especialistas obviamente, não estão prestando atenção no povo que está escolhendo o Trum tupiniquim, enquanto o establishment midiático e partidário adota a tática do avestruz, fingindo que Bolsonaro não existe. O Brasil eleitoral no ano que vem vai ser igual os EUA de 2016.

  3. Xiiiiiiiiiii, começou a temporada dos “especialistas” em eleição e política francesas. Já chega os professores de relações internacionais ouvidos pela GN que sequer sabiam pronunciar o nome dos candidatos e informações mais consistentes. Esperar que falassem francês seria demais.

  4. OU ACREDITAMOS QUE E POSSIVEL FAZER POLITICA, SERIA, COMPROMETIDA OU EM 2018 VAI ACONTECER O Q ACONTECEU NO AMAZONAS, QUE OS VOTOS BRANCOS E NULOS ELEGERIAM OUTRO CANDIDATO!!! O ELEITO N TEM QQ LEGITIMIDADE!!!

  5. OU ACREDITAMOS QUE E POSSIVEL FAZER POLITCA, SERIA, COMPROMETIDA OU EM 2018 VAI ACONTECER O Q ACONTECEU NO AMAZONAS, QUE OS VOTOS BRANCOS E NULOS ELEGERIAM OUTRO CANDIDATO!!!

  6. “é necessário evitar candidatos populistas”… claro. Quem seria o populista no caso? Que tal chamar as coisas pelos nomes, só para começar? O Bolsonaro com toda a certeza não é populista, é um candidato de direita puro sangue, nacionalista e patriota. Qual o problema disso, só para começar? Por outro lado, se ele se refere ao bafo de bode canalha e ladrão, o certo é chamá-lo de COMUNISTA, mas isso é tabu nesse arremedo de imprensa que temos, incluso vocês, seus canalhas. A propósito, alguém ainda tem a coragem de citar essa bo.s.ta que foi eleita para a França como exemplo de alguma coisa útil?

  7. Antagonista precisa se aprofundar mais nos posts e análises. E aí, qual a concusão? Ao menos neste aspecto os posts do Reinaldo Azevedo etam completos. Antes de enlouquecer, é claro…

    1. Concordo plenamente. O blog Antagonista é muito bom, atual. Mas, peca em não opinar com mais profundidade. RA, por sua vez, sempre fundamentou suas opiniões. Agora, pirou de vez! Não dá para ler até o final. Uma pena, pois escreve muiiito bem!

  8. Claro, claro, Antagonista!
    É só pegar um Socialista moderninho ( MACRON E DÓRIA), dizer que é de Direita. De preferência, criando um novo partido. Depois, pega todo aquele candidato de Direita ( LE PEN E BOLSONARO) e transforma em EXTREMA DIREITA. Aí, você conta com o Antagonista e demais mídias “me engana que eu gosto”. E pede para elas CONFIRMAREM E DEFENDEREM A NOVIDADE!

  9. Pra trazer esse francês marqueteiro picareta que cobra em Euros, melhor ficarmos com o João Santana, Mônica Moura e o grande amigo do Antagonista, nosso Elsinho Moura, que pelo menos cobram em Reais ou em Dólares, que está mais em conta, e sem NF.
    Brasil tem que acabar com esse negócio de marketing na política.

  10. Desde que a experiência venha sem maquiagem. O país já gastou tudo o que tinha com o japa da Dilma e não resolveu nada. Nada mesmo.

  11. É preciso duvidar de um homem, que se diz ainda apaixonado por uma mulher daquelas! Não pela discrepância de idade… mas pela miopia e insensibilidade do consorte!… rsrs

  12. Aqui no brasil a unica experiencia de Macron que Doria e outros politicos aproveitarão é gasto de milhares de Euros em maquiagem, o que fez a popularidade do presidente frances despencar. O ex-ministro do presidente soube enganar bem a populaçáo de lá. Aqui é ainda mais fácil, como Lula, Dilma e Temer provaram ser

Comentários temporariamente fechados.
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.