Exportações: nossa última esperança agoniza

Quando a maré baixa é que se percebe quem nadava pelado. A sábia e maliciosa lição do megainvestidor Warren Buffett continua sem ser compreendida pelo governo. Num raciocínio primário, com o dólar alto, a salvação do Brasil seriam as exportações. Mas o comércio exterior não é nenhuma panaceia. O Brasil, simplesmente, não fez a lição de casa, nos últimos anos. Deixou de investir em infraestrutura e minou a competitividade da indústria. Resultado: espera o milagre da exportação de commodities em um momento de baixa nas cotações mundiais e de economia global andando de lado. Depois, a presidente Dilma Rousseff reclama que a maré virou e pegou a economia de calças na mão.