A expressão sociológica para roubalheira

Andreza Matais noticia que o TSE vai julgar “‘candidaturas femininas fictícias registradas oficialmente apenas para partidos e coligações tentarem cumprir a cota de exigência legal de reservar 30% das vagas para mulheres”.

Segundo a jornalista, “um dos casos mais emblemáticos, de relatoria do ministro Jorge Mussi, trata de cinco candidatas à Câmara de Vereadores de Valença do Piauí, que tiveram votação inexpressiva, não praticaram atos de campanha nem tiveram gastos declarados em suas prestações de contas”.

Para o Ministério Público Eleitoral, o problema reflete a “estrutura patriarcal que ainda rege as relações de gênero na sociedade brasileira”.

É uma expressão sociologicamente aceitável para a roubalheira politicamente correta.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Sami disse:

    O que esperar de um país em que até o STF preferiu lavar as mãos e não opinar quando questionado sobre as quotas raciais em universidades? Sim, o guardião da Constituição lavou as mãos, preferindo o politicamente correto de uma minoria barulhenta, a defender a igualdade prevista na Lei maior.

Ler comentários
  1. Dutra disse:

    Ahhh.... as famosas "quotas" impostas goela abaixo da sociedade. Todos são iguais perante a Lei. Quando será que esses imbec1s irão entender isso?

  2. jacob disse:

    EM Primavera do Leste MT o atual presidente da camara, do PV, ja foi alvo de investigação, mas misteriosamente absolvidos ele e a coligação, mesmo com uma suposta candidata declarando que não concorreu, jamais fez campanha, santinhos ou outro material, não pediu votos, etc...

  3. Jornalecos marrons anti Bolsonaro disse:

    Gênero só existe no dicionário e nas cabeças doentias de gays e feminazis. Existe, biologicamente, que é o que importa, apenas sexo: masculino e feminino.

  4. Brasil Direito - #CapitãoBolsonaroPresidente disse:

    “estrutura patriarcal que ainda rege as relações de gênero na sociedade brasileira”. Meritocracia pra quê, né? Essa política de cotas é um fracasso, ineficaz. A pessoa pode colocar quantas mulheres ou homens forem, que o povo votará em Hs/Ms de um partido, e Hs/Ms de outro, e vice-versa.

  5. Edvaldo Nunes disse:

    No direito esquerdalha vigarista a quotas femininas também inclui pessoas que não se sentem "bem" com o sexo que nasceu e se declara "mulher" ou impera o preconceito? . Com a resposta o direito esquerdopata e aproveite pública no porta voz das causas o pasquim vigarista vermelho Rolha CuUol.

  6. Memyself disse:

    Mas quanto BS! Se o tse impõe cota de participação feminina e não tem, os partidos ou vão contratar mulheres ou vão mentir! É evidente! O estado sempre se metendo onde não tem direito.

  7. Marlene disse:

    Esse é o resultado das quotas. Inventa-se para cumprir legislação burra. E os malandros continuam no pedaço. Com essas decisões restará aos políticos melhorar a malandragem, inventando despesas, atos políticos, etc.

  8. marcos disse:

    porque simplesmente as mulheres não podem gostar de politica como a grander maioria quer te convencer a ver novelas com elas? . simples assim, não existe opressão não existe patriarcado como podem então durante mais de 10 mil anos, MULHERES E HOMEM cooperarem entre si casando?

  9. Normal em uma CLEPTOCRACIA disse:

    É, SIM, "uma expressão sociologicamente aceitável para a roubalheira politicamente correta." CASO CONTRÁRIO ISSO AQUI NÃO SERIA UMA PROPINOCRACIA

  10. Edu Carvalho disse:

    O Brasil está ficando cada vez mais ridículo com tanta bobagem. As cotas são uma gigantesca bobagem.

  11. Sérgio Franco disse:

    Ser a que Dilma, Gleise et caterva não foram suficientes pra mostrar que as mulheres podem ser tão corruptas ou mais que os homens? Mau caráter não tem gênero. Foras as cotas, todas elas.

  12. Jorge Alberto disse:

    As cotas. como um todo, são um absurdo. Já as cotas para mulheres na política é um absurdo de ordem astronômica. A consequência dessa famigerada cota é que se não houver mulheres interessadas em se candidatar, os partidos têm que usar pseudocandidaturas.

  13. Flávia disse:

    Sim. Toda a estrutura é patriarcal. Hipócrita. Torpe. Mas, transformar cotas em obrigatoriedade também o é. Candidatar-se a algum cargo político deve ser ESCOLHA da mulher. E não das máfias partidárias.

  14. Nathan disse:

    A Cleptocracia é a mãe e o pai da Desonestidade! Leis politicamente corretas nada mais são que oportunidades de roubar, seja a grana ou a sua liberdade!