Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Fabio Trad: "Se comprovada omissão no caso da Covaxin, Bolsonaro prevaricou"

Deputado federal considera essa "a mais grave denúncia" desde o início da gestão e "que atinge a principal bandeira do bolsonarismo, a ausência de corrupção no governo"
Fabio Trad: “Se comprovada omissão no caso da Covaxin, Bolsonaro prevaricou”
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Se comprovada a omissão do presidente nos fatos denunciados sobre a compra de doses da Covaxin, Jair Bolsonaro prevaricou”, segundo o deputado federal e advogado Fábio Trad (PSD-MS).

O caso veio à tona depois que O Antagonista revelou que Luís Miranda (DEM-DF) alertou Jair Bolsonaro sobre indícios de irregularidades na compra da vacina. Em entrevista ao site, o deputado federal disse que ele e seu irmão têm sido “achacados” por agentes do governo depois que denunciaram o esquema.

O parlamentar explicou que, se realmente houve comunicação ao presidente “sobre a existência de indícios de graves de corrupção para aquisição de vacinas, Jair Bolsonaro deveria ser o primeiro a adotar providências para coibir essa conduta, determinando sua investigação”.

“Se não o fez, o artigo 319 do CPP [que define o crime de prevaricação], no mínimo, já reproduz, em termos punitivos, a sua conduta enquanto presidente”, afirmou Trad.

Para o deputado federal, “essa é a mais grave denúncia desde o início do governo, que atinge a principal bandeira do bolsonarismo, a ausência de corrupção no governo”.

O deputado também detalhou que o presidente, a depender da apuração dos fatos, pode ser considerado coautor do crime de corrupção. Mas, para que isso ocorra, é preciso haver provas de que ele “quis se locupletar”.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
TOPO