Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Fakhoury usa a CPI para propagar teses bolsonaristas na pandemia

"As pessoas pegaram o vírus usando a máscara do mesmo jeito", disse o empresário, reiterando seus posicionamentos negacionistas
Fakhoury usa a CPI para propagar teses bolsonaristas na pandemia
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O empresário Otávio Fakhoury afirmou há pouco em depoimento à CPI da Covid que não acredita na eficácia das máscaras de proteção contra o coronavírus, ignorando todos os estudos científicos sobre o tema.

Os senadores da comissão exibiram um vídeo de uma campanha que contou com a participação do empresário a favor do tratamento precoce, em que ele e uma série de personalidades bolsonaristas aparecem tirando suas máscaras, como se a pandemia tivesse acabado.

As pessoas pegaram o vírus usando a máscara do mesmo jeito. […] Cada um pode usar o que se sente protegido. Se a pessoa se sente protegida com máscara, pode usar. A minha opinião é que ela não protege, disse Fakhoury à CPI.

O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues, afirmou que não se trata de “liberdade de expressão”.

Isso não é liberdade, é crime. Liberdade de opinião é eu torcer para o Flamengo, o senador Tasso torcer para o Ceará. Quando a sua opinião compromete a vida de todos, isso não é liberdade não.”

Fakhoury ainda afirmou que tomou medicamentos ineficazes contra a Covid e que a eficácia foi total.

“Eu reconheço publicamente que funcionou para mim, funcionou na minha casa. As pessoas tinham que ter o direito de escolher. Quando aconteceu a contaminação na minha casa, eu liguei para o médico e perguntei: ‘O senhor permita que eu tome? Tudo bem eu permito, porque os efeitos colaterais são baixo’.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO