“Falaram ‘o Milton vai morrer'”

O MPF perguntou se Fernando Moura teria motivos reais para achar que seus familiares corriam algum risco. O delator contou então que sempre ouvia no PT que era “perigoso fazer isso ou aquilo”.

“Já tinha história do Celso Daniel, história do prefeito de campinas. Você fica preocupado”, disse. “Quando o Milton (Pascowitch) fez a delação, falaram ‘o Milton vai morrer'”, disse.

Questionado pelos procuradores sobre quem seriam os agentes perigosos, Moura respondeu: “Tudo a nível pessoal do PT.”