Falso profeta

Falso profeta
Foto: Reprodução/redes sociais

André Mendonça voltou ao Twitter para defender o fim da Lava Jato e dizer que o governo Bolsonaro está comprometido com o combate à corrupção e ao crime organizado. O ministro afirmou que “a Lava Jato existiu basicamente por ilícitos praticados na Petrobras”, o que está longe de ser verdade.

Por má-fé ou desconhecimento, Mendonça não menciona que a operação iniciada no Paraná descortinou o maior esquema de corrupção do planeta.

As empreiteiras que atuavam na Petrobras, em sua maioria, se tornaram complexos grupos econômicos com tentáculos em praticamente todos os setores: infraestrutura, transporte, energia, defesa nacional, agronegócio e até limpeza urbana.

O esquema tragou Executivo e Legislativo, respingou no Judiciário e usou o sistema bancário e o mercado financeiro para lavagem de bilhões desviados dos cofres públicos.

O Supremo fatiou a investigação e a pulverizou pelo país. Em alguns lugares, como Brasília e Rio, frutificou e ainda atormenta o establishment que Bolsonaro e Mendonça alegam combater.

Mendonça disse que “não haverá motivos para uma nova Lava Jato”. Mas as quadrilhas que assaltaram o país, travestidas de partidos políticos, aparelham o governo de plantão e seguem a influenciar os destinos da Nação.

O resto é o resto.

Leia mais: Quem são os integrantes do primeiro escalão de Joe Biden, cuja composição foi marcada pela previsibilidade.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 262 comentários
TOPO