ACESSE

Faltou um

Telegram

“O depoimento do deputado federal Nereu Crispim, do PSL gaúcho, serviu como uma espécie de guia para a decisão na qual Alexandre de Moraes ordenou buscas nos endereços de bolsonaristas no fim de maio”, diz a Crusoé.

“Nem todos os nomes mencionados pelo parlamentar, porém, foram alcançados pela medida (…).

Crispim incluiu Fábio Wajngarten, da Secom, no ‘movimento organizado para desestabilizar as instituições.'”

Leia mais: 'Inquérito do fim do mundo' no STF: a investigação é sigilosa, mas você pode conhecer seus bastidores agora

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 12 comentários