Faz o serviço completo, Eduardo

O UOL noticia que o deputado Eduardo Cunha, depois de ser eleito presidente da Câmara, “mudou de estilo”. Se mudança houve, e O Antagonista acha que não, então foi para melhor, aparentemente.

Eduardo Cunha quer simplesmente que os deputados trabalhem. Ele ampliou as votações para três dias por semana (antes eram só dois), incluindo a quinta-feira normalmente enforcada pela maioria. Os parlamentares ficaram bravos. Ele disse que vai cortar o salário de quem não respeitar a regra. Os deputados ficaram furiosos.

Os funcionários da Casa também estão “em alerta”, segundo o UOL, porque Eduardo Cunha chega às oito da manhã, despacha até tarde da noite e não sai para almoçar. Já deve ter gente fazendo outro tipo de trabalho contra ele — o de macumba.

Na verdade, você pode até não gostar do sujeito, mas Eduardo Cunha sempre trabalhou duro. É estudioso das matérias sobre as quais é chamado a opinar e, por isso, costuma dar bailes em seus interlocutores. Até José Serra, outro trabalhador incansável, já admitiu que ele é osso duro em discussões técnicas.

Neste momento, Eduardo Cunha trabalha ainda mais em função das suas ambições políticas. Quer destronar Renan Calheiros e, num futuro não tão longínquo, Michel Temer. Se isso passar pelo impeachment de Dilma Rousseff, a ex-guerrilheira de esquerda, a gente paga horas extras.

Se Cunha mandar Dilma para

fora, a gente paga horas extras

Faça o primeiro comentário