ACESSE

Felipe Moura Brasil: o banditismo protegido

Telegram

Em sua coluna desta semana na Crusoé, Felipe Moura Brasil comenta as prioridades de Jair Bolsonaro durante a pandemia do novo coronavírus.

“Jair Bolsonaro, ante uma pandemia, preferiu limitar-se às ideias negacionistas de Olavo de Carvalho, como ‘você não tem um único caso confirmado de morte por coronavírus’ (22/3) e ‘no dia em que o Coronga vírus matar mais de setenta mil pessoas por ano, admitirei que ele é um problema tão grave quanto o banditismo protegido pelos críticos parlamentares, judiciais e jornalísticos do nosso presidente’ (31/3).

O coronavírus, até meados de julho, já matou mais de 75 mil pessoas no Brasil, enquanto dois ministros da Saúde que eram médicos se recusaram a seguir o negacionismo presidencial; e o terceiro, o general Eduardo Pazuello, só esteve em reunião com Bolsonaro duas vezes, mesmo assim na presença de outros ministros, como informou O Antagonista. Nesse tempo, Bolsonaro preferiu resolver suas questões pessoais, como a prisão e a soltura de Fabrício Queiroz.”

Clique AQUI para ler a íntegra do texto.

Foto: Rodrigo Freitas/O Antagonista

Leia mais: Sócios no desastre: a responsabilidade dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 40 comentários