Festa nas ruas

Hoje tem festa na Esplanada, na Paulista e em Copacabana.

E, como sempre, nosso e-mail para protestos, antagonistasnasruas@gmail.com, está aberto para comentários e imagens.

Divirta-se.

27 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. A estória da chapeuzinha vermelha que, de tão bondosa, recolhia qualquer malandro em seu palácio. Às vezes nas Alvoradas de março, ela tinha um outro amiguinho bonzinho que fazia entrega de bilhetinhos também bonzinhos, uma pureza de fazer dó. Tais papeizinhos não tinham assinatura, apenas dizia que era para o caso de necessidade de algum maracutaiento ser pego de calça curta. Existe muito golpe, diziam os chapeuzinhos vermelhos, já adestrados desde outros reinados. E a resposta era alvissareira, sempre e quando a jararaca vestida de vovozinho, respondia candidamente: Ciao querida.

  2. Já perceberam que não há mais humor sobre política na TV. Medo de ser processada pelo PT? Medo de atiçar a censura da patrulha petista? Medo de perder patrocínio de empresas públicas? Enfim, tem sido uma era sombria. Saudades do Caceta, do Agildo Ribeiro… Saudades do Sarney, do Maluf… peraí, é porque eles nunca ameaçaram imprensa ou o humor… pelo contrário, foram grandes motivos (políticos sempre são) para rirmos. Opiniões, Fatos, Críticas… e até o Humor têm sido cerceados nos últimos anos. Brasileiros: tomem vergonha na cara !!

  3. Avisem a Mandioca que na segunda-feira (quando já estará desempregada), ela deve contatar aquela mulher que em um dos debates perguntou se a Mandioca tinha alguma proposta para gerar empregos para pessoas com nível superior pois ela já estava desempregada há muito tempo e a Mandioca falou para ela fazer o Pronatec. Aquela mulher deve ter dicas preciosas para a Mandioca se recolocar.

  4. Duas medidas de impacto: 1); 2); 3)? Faz parte da piada ou é efeito das políticas “púbicas” de educação? Ô Seu Casseta! Até o molusco cefalópode consegue acompanhar a contagem até três com uma das mãos apenas.