Ficará para depois

Se depender de Cármen Lúcia, o julgamento que pretende rever a prisão de condenados em segunda instância ficará para depois… bem depois. Ela tem tentado costurar com os demais ministros um acordo para adiar o tema para o ano que vem.

Faça o primeiro comentário