Filipe Martins presta depoimento à Polícia Legislativa e pode ser indiciado por racismo

Filipe Martins presta depoimento à Polícia Legislativa e pode ser indiciado por racismo
Foto: Reprodução

Filipe Martins —que continua na assessoria de assuntos internacionais de Jair Bolsonaro, mesmo após a queda de Ernesto Araújo— presta esclarecimentos nesta quarta (7) à Polícia Legislativa do Senado e pode ser indiciado por racismo.

O depoimento refere-se ao gesto associado a supremacistas brancos que Martins fez durante audiência de Ernesto no Senado, em março. O sinal também pode ser interpretado como um xingamento obsceno.

A investigação do caso foi instaurada no dia 25 de março, por determinação do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Após analisar as imagens internas do circuito de TV e colher informações junto a outros parlamentares, os responsáveis pelo inquérito afirmam ter provas de que Martins agiu de forma proposital durante a sessão do Senado que debatia ações de combate contra a Covid.

A expectativa é que, após o depoimento do assessor internacional, os investigadores elaborem um relatório e peçam seu indiciamento.

Como a Polícia Legislativa tem poderes semelhantes aos da Polícia Civil, o órgão pode apresentar a denúncia diretamente à Justiça contra Martins.

 

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO