Fla x Flu: mais presos por esquemão dos ingressos no Rio

O assessor de imprensa da presidência do Fluminense, Artur Mahmoud, e o presidente da torcida organizada Raça Rubro-negra, Alesson Galvão de Souza, foram presos hoje na segunda fase da Operação Limpidus, que investiga repasses de ingressos de partidas de futebol para torcidas organizadas, informa o G1.

Também foram presos dois funcionários da empresa Imply, responsável pela confeção de ingressos: Monique Patricio dos Santos Gomes e Leandro Schilling.

“Os dirigentes dos clubes forneciam ingressos para dirigentes de torcidas organizadas, que caíam muitas vezes nas mãos de cambistas”, afirmou a delegada Daniela Terra.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Avelino Castro Assis Vicente disse:

    Cada umcolhe o que planta.O qye o Rio plantou todos esses anos?

Ler comentários
  1. Ezequiel-SP disse:

    Quando se queria,(ainda hoje isso existe), mostrar o RJ Maravilha que enchia Estádios, praias lotadas e modo de vida "digno" de um sonho, Não se falava a grande verdade: Tudo nas costas do Estado. Não é a toa que moralmente e economicamente está quebrado...E aguardem o Funk de final de ano , queima de fogos e carnaval..tudo na "faixa". Como todo bom carioca e brasileiro acima de SP Adora...RJ, capital do nordeste. O país que nunca dá certo...

  2. Só meteoro salva! disse:

    Enquanto não acabarem com as torcidas organizadas - todas - teremos vandalismos, brigas, assassinatos e tráfico de drogas nos estádios. Não adianta prender, processar, proibir a ida aos estádios. Essas torcidas são esconderijos de bandidos. Pega um, aparecem oito. E os presidentes de clubes devem responder criminalmente, pois também alimentam esse tipo de câncer.