Flávio Bolsonaro chama Paulo Marinho de 'tiazinha do pulôver', e empresário rebate

Flávio Bolsonaro chama Paulo Marinho de tiazinha do pulôver, e empresário rebate
***FOTO DE ARQUIVO***Rio de Janeiro, Rj, BRASIL. 25/06/2019; Paulo Marinho, suplente do senador ( Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

Em postagem no Instagram, Flávio Bolsonaro atacou Paulo Marinho depois da divulgação da notícia de que o MPF pediu a quebra do sigilo telefônico e dos e-mails de seus assessores.

Depois de apoiar a campanha de Jair Bolsonaro, o empresário rompeu com a família e acusou o senador –de quem é suplente– de ter sido beneficiado por suposto vazamento da Operação Furna da Onça.

O filho 01 de Bolsonaro escreveu que tudo acontece “devido a uma fofoca do meu suplente de senador Paulo Marinho, também conhecido como tiazinha do pulôver, de que eu teria recebido uma informação sigilosa”.

O “tiazinha do pulôver” foi ao Twitter rebater o ataque: “Fica aqui uma dica: melhor não pagar de ‘gostosão’ com os investigadores do MPF porque eu e você sabemos o que você fez no verão de 2018…”, escreveu Marinho.

O empresário disse ainda que a quebra de sigilo dos assessores de Flávio “vai mostrar com clareza a veracidade do que você me relatou quando veio chorando à minha casa pedir ajuda”.

Leia mais: A estratégia de Bolsonaro para chegar ao fim do mandato
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
  • -

    A lei de Abuso de Autoridade se aplica a meia dúzia de Ministros do STF, cabendo à PGR, provocada pela AGU, a iniciativa. Os 3 Poderes precisam harmonizar-se. E deixar a Glbo falar sozinha. Joseval

  • Fei -

    Esses pivetes do bolsonaro adoram praticar o bulliyng Verdadeiros trombadinhas dos cofres públicos

  • Nina -

    Flávio se caracteriza pela soberba. Se puxar o fio, o MPF vai saber o que ele fez em todas as estações do ano nas últimas décadas.

Ler 78 comentários
TOPO