Flávio Bolsonaro comprou salas com dinheiro que não passou por sua conta, diz MP

Entre 2008 e 2009, Flávio Bolsonaro desembolsou quase R$ 300 mil na compra de 12 salas comerciais com recursos de origem incerta que não passaram por sua conta bancária, segundo o MP do Rio de Janeiro.

A informação, publicada pelo UOL, consta na denúncia protocolada no Órgão Especial do TJ-RJ.

De acordo com o MP, para dar entrada nas salas e pagar o financiamento desses imóveis, o filho do presidente usou dinheiro vivo, cheques de terceiros e boletos bancários.

Apenas em 2008, o valor pago por Flávio chegou a R$ 262 mil. Durante todo aquele ano, o parlamentar havia sacado pouco mais de R$ 90 mil de sua conta.

O MP relata que esse valor pode ter sido usado, porém, para pagar parte de suas despesas pessoais. De acordo com extratos bancários, o senador praticamente não usava cartões de crédito ou débito.

Leia mais: A Crusoé fiscaliza TODOS os poderes e, nesta semana, é a vez do Legislativo.
Mais notícias
TOPO