Foi a Erenice?

A PF suspeita que Erenice Guerra permitiu que lobistas tivessem acesso antecipado ao texto da Medida Provisória 471, disse o Estadão.

Isso ocorreu em 2009, quando Erenice era secretária-executiva de Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil.

Segundo a reportagem, “a PF questionou diretamente o advogado Eduardo Valadão, um dos investigados que tiveram acesso ao texto, se o vazamento partiu da secretária-executiva. O delegado Marlon Cajado quis saber ‘se foi Erenice Guerra quem repassou’ a ele ‘as minutas da MP 471, de 2009, e da sua exposição de motivos, que foram encaminhadas posteriormente para Mauro Marcondes, ainda antes da publicação’”.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200