"Foi ele, Bolsonaro, o capitão da manobra que enterrou a CPI da Lava Toga"

“Foi ele, Bolsonaro, o capitão da manobra que enterrou a CPI da Lava Toga”
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Jair Bolsonaro, como registramos, disse que Luís Roberto Barroso fez “uma jogadinha casada” com “a bancada da esquerda” para instalar a CPI da Covid no Senado. O presidente também cobrou a abertura de processos de impeachment de ministros do STF.

Alessandro Vieira (Cidadania), sendo provocado pelos pares, lembrou a O Antagonista que o governo Bolsonaro atuou para barrar a CPI da Lava Toga e também as análises dos pedidos de impeachment dos ministros do Supremo.

Fabiano Contarato (Rede) escreveu algo parecido no Twitter:

“Bolsonaro ataca o STF e fala em omissão do Senado em processar o impeachment de seus juízes: só omitiu que foi ele, Bolsonaro, o capitão da manobra que enterrou a CPI da Lava Toga! O ataque mostra desespero de um presidente que, encurralado, passa recibo de sua culpa.”

Contarato, a este site, acrescentou lamentar que “o Senado sofra o constrangimento de ser obrigado a fazer o que era seu dever de ofício”: instalar a CPI da Covid, protocolada há mais de 60 dias com o número suficiente de assinaturas.

“Uma surpresa positiva, porém, foi a falta da mais remota resistência do presidente Pacheco em acatar prontamente a liminar, não esboçando nem mesmo a vontade firme de recorrer da decisão. Essa ambiguidade sugere que protelar a CPI, no fundo, lhe era um fardo pesado, que carregava por compromisso político com o governo, mas não por convicção de ser o melhor a se fazer. Sendo desincumbido pelo STF do fardo, apressou-se em lavar as mãos, sem ressentimentos: certamente seu gesto será interpretado pelo Palácio do Planalto”, acrescentou o senador pelo Espírito Santo.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO