“Foi um assassinato político”

Sílvia Ramos, coordenadora do Observatório da Intervenção Federal, da Universidade Cândido Mendes, divulgou a seguinte nota sobre a morte de Marielle Franco:

“Independentemente da motivação dos autores da execução, o que houve ontem foi um assassinato político. Trata-se de um novo degrau de aprofundamento das dinâmicas de violência no Rio, inaugurando uma nova modalidade de homicídio, o homicídio estritamente político.

A morte de Marielle representa uma ameaça dos ativistas de favelas, às lideranças comunitárias e aos defensores de direitos. A Polícia Militar precisa dar respostas imediatas que façam cessar suspeitas sobre atuação de seus policiais. A Polícia Civil deve elucidar o crime de forma exemplar. E, sobretudo, o comando militar da intervenção federal deve dar respostas à sociedade.

O Rio sob intervenção tem sido o local onde mortes por violência e mortes e agressões por violência policial continuam prevalecendo. É responsabilidade dos interventores deter os crimes de ódio aos defensores de direitos.”

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. MFC disse:

    VOCES DA IMPRENSA ATIVISTA NÃO SOUBERAM DA MORTE DA MÉDICA, COR BRANCA A TIROS QUANDO FOI ASSALTADA...SE NÃO ME FALHA O CELULAR NO MESMO DIA DA VEREADORA...PAIRA UMA PERGUNTA: SERÁ QUE FOI PARA NÃO HAVER ATENDIMENTO MÉDICO...NOS COLEGAS ESTAMOS ASSUSTADOS.

Ler comentários
  1. Henry disse:

    Essa senhora só deve estar a serviço dos criminosos que estão sendo incomodados com a intervenção federal no Rio de Janeiro. Como é que, sem uma apuração do crime, ela venha afirmar que isto é coisa de policiais ??? Os traficantes, as milícias que dominam as favelas, por acaso são santos ?? Não matam ?? Não só eles são muito organizados para matar, como também para contratar "porta-vozes" para queimar o filme dos policiais. Milícias, geralmente são ex-policiais... Tem policial da ativa praticando crime ?? Sim, mas é minoria e estes têm que ser alçados pelas mãos dos policiais honestos... Traficantes matam o ano todo e essa mulher vem aqui para emporcalhar a PM ?? Está a serviço do tráfico....

  2. Alexandre Coelho disse:

    Se realmente começarem uma série de assassinatos políticos devemos chamar de assassinatos ou de faxina?

  3. bj disse:

    A morte de Celso Daniel para a esquerda foi latrocínio. Fala sério.

  4. J&C disse:

    É MESMO, SILVA RAMOS, E COMO DEVE SER FEITO? COM FLORES E BOMBONS!!!!!!! SUGIRO UMA COISA, VAI FAZER ALGO DE UTÍL, AO MENOS UMA VEZ NA SUA VIDA!!!!!

  5. Maria Esther Tteixeira Correa disse:

    Com o exército de mãos atadas, a intervenção perde o sentido. O exército não pode fazer nada, só o Jungman pode e nem sabe o que fazer. Vai pro RJ fazer discurso? Ridículo. Cada dia fica mais claro que o único interesse do Temer com a "sua" "intervenção" foi se promover. O que foi improvisado está fadado a dar errado.

  6. J&C disse:

    COMEÇOU O JOGO DO RESTA UM, ASSIM VAI SER RÁPIDO!!!!!

  7. meia verdade disse:

    Foi um assassinato político sim. Mas...foi para abalar a intervenção, Bolsonaro que é a favor de armas, sua candidatura, Temer e tudo mais...a quem interessava a morte desta política??? Muito mais à esquerda do que a direita ou à própria PM, que já está sendo investigada a pente fino....

  8. Maicom disse:

    Vocês tem sangue nas mãos canalhas! Quem é a favor de fechar escolas e construir presídios é gêmeo siames dos assassinos covardes de Marielle Franco.

  9. Emerson disse:

    Um assassinato tão político como os outros 60.000 que acontecem anualmente no Brasil, que ocorrem por causa da política da impunidade que os nossos políticos se recusam a enfrentar.

  10. RICARDO disse:

    QUEM MATOU CELSO DANIEL E OUTROS PETRALHAS TEM KNOW-HOW. MORREU PELA CAUSA.

  11. Pascoal Freitas disse:

    "Independentemente da motivação dos autores da execução, o que houve ontem foi um assassinato político." Pérola do pensamento brasileiro.

  12. Rubens disse:

    A população do Rio e de todo o País vai entender que a destruição do Estado pelas quadrilhas que tomaram o poder, tanto em nível local quanto em nível federal, deu oportunidade a que crescessem as milícias, os comandos criminosos e os aproveitadores do povo sitiado. No Rio de Janeiro chegamos a um estado declarado de guerra entre os criminosos e aqueles que vão combatê-los. A vereadora e o motorista são mais duas vítimas dessa guerra. Talvez a intervenção federal para reorganizar a segurança e dar um pouco mais de alento às pessoas de bem que moram e trabalham no Rio não seja suficiente. Essa guerra poderá exigir mais.

  13. Brasil Direito - #CapitãoBolsonaroPresidente disse:

    As políticas que o psol, pt, pcdob, e demais esquerdistas/comunistas/socialistas/progressistas defendem, são completamente errôneas. E o resto da população e policiais executados por bandidos, COMO FICAM? Nessas horas, o armamento do cidadão de bem, o excludente de ilicitude pra legítima defesa do cidadão de e do bom policial (que ao lado do cidadão de bem, é executado todos os dias), e e o fim de privilégios para presos, são urgentes. Não se combatem traficantes da favela que portam armas de guerra, ou qualquer assaltante homicida armado… e bandidos que se fantasia com o manto dos heróis de farda… com afagos e políticas frouxas de direitos dos manos. O Brasil vive uma guerra não declarada, e em muitas cidades tá muito pior que o RJ. O RJ só tem mais mídia pra cobrir.

  14. Brasil Direito - #CapitãoBolsonaroPresidente disse:

    BOLSONARO ESCULACHA FALSOS DEFENSORES DE DIREITOS HUMANOS youtu.be/1TkZPqHJhlE

  15. isso q dá instrumentalizar os direitos humanos disse:

    e os crimes sem sequer ódio que são cometidos ao resto da população?

  16. Marco Bettega disse:

    Quanta baboseira pseudo-sociológica. Gente oportunista, abjeta! A ESQUERDA CONSEGUIU SEUS MÁRTIRES! E VÃO ENCHER O S@CO! Aguentemos usarem os cadáveres dessas vítimas da violência carioca, há décadas conhecida!

  17. Marco Bettega disse:

    "Independentemente da motivação dos autores da execução, o que houve ontem foi um assassinato político. " A FRASE É PARADOXAL! A AUTORA JÁ DESVENDOU O CRIME, SÓ FALTAM OS NOMES!

  18. carlus disse:

    Todos os crimes são políticos, resultado do apoio politico de partidos de esquerda a criminosos nos últimos trinta anos.

  19. Tereza Albuquerque disse:

    Começou... No ano passado no Rio contaram 135 policiais mortos. Este ano vão começar a contar os políticos?

  20. Marco disse:

    Elucidar para quê ? Não se elucidam crimes cometidos contra cidadãos, então porque saber a identidade dos assassinos dessa mulher ? Porque ela é vereadora ? Por isso a família dela vai poder dormir em paz, com a certeza da justiça feita, enquanto dezenas de milhares de familiares vêem os inquéritos de seus entes queridos mortos mofando nos cartórios sem nenhuma providência ? Agilidade e eficiência da polícia numa hora dessas é um tapa na cara dos NOSSOS mortos !

  21. Guz Paulo Cangussu disse:

    Foi sim, um assassinato político. Que não começou ontem, mas sim há décadas, e se consagrou com a voracidade de um Sergio Cabral e seu capanga, ainda solto, que atende pelo codinome PEZÃO! Uma esteira de picaretas, demagogos, aproveitadores, essa a história da governança do Rio de Janeiro por décadas, não muito diferente do resto do Brasil, cujo ninho de serpentes apocalípticas se localiza em Brasília. Sob o pretexto de se estar aplicando uma "POLÍTICA SOCIAL" sabemos agora que se montou desde 2003 uma organização criminosa nunca antes engendrada em nosso país, cujo artífice criminoso está prestes a encarar a cadeia. Bilhões (de dólares) que poderiam ter sido aplicados realmente em políticas sociais foram desviadas para ditaduras do clube totalitário que chamam de FORUM DE SÃO PAULO.

  22. Guz Paulo Cangussu disse:

    Pelegos de vários matizes aparelharam a máquina governamental, impedindo que as benesses atravessassem as confortáveis contas correntes de criminosos de alvos colarinhos usurpadas do erário público. A morte de Marielle é mais uma ponta de um iceberg pútrido, de proporções assustadoras, que explodiu acionado pela infâmia e descaso com um povo que teima em ter esperança! Guz

  23. !!? disse:

    É uma nova narrativa da esquerda e para a esquerda.

  24. Noblat disse:

    A quem interessava a morte de Marielle?