Foragida da Triplo X dá entrevista no Panamá

A advogada María Mercedes Riaño Quijano, chefe do escritório Mossack Fonseca no Brasil, deu entrevista ao diário panamenho ‘La Estrella de Panamá’. Ela e o colega Edison Teano Rivera são considerados foragidos pela Justiça brasileira.

Quijano e Rivera foram alvo de mandados de prisão na Operação Triple X. Eles conseguiram fugir para o Panamá.

Ao jornal panamenho, a advogada disse o seguinte: “Não participamos na compra, empréstimo ou financiamento de nenhum imóvel, assim como tampouco oferecemos assessoria imobiliária no Brasil”.

Em sua defesa, Quijano disse ainda que não há vínculo comercial dos gestores da Mossack Fonseca com as empresas criadas pelo escritório ou os seus sócios.