Foro é ‘pautado para não funcionar’, diz Eliana Calmon

Eliana Calmon, ex-ministra do STJ e ex-corregedora nacional de Justiça, foi hoje à Câmara para falar em uma audiência sobre o foro privilegiado, registra o G1.

Disse que, no STJ, vivenciou casos relacionados ao foro e chegou à conclusão de que, “efetivamente”, ele não funciona –“na realidade, ele está pautado para não funcionar. O foro é um grande guarda-chuva para a impunidade”.

Quando uma denúncia é apresentada a uma corte especial, lembrou a ex-ministra, são 15 ministros para falar sobre a acusação, pedir esclarecimentos e até pedir vistas. “Isso não termina nunca.”

Atualmente, tramita na Câmara uma PEC que restringe o foro aos presidentes da República, do Senado, da Câmara e do STF, além do vice-presidente da República.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 9 comentários
  1. O problema não é lei, mas quem interpreta (juízes).
    Temos no stf os piores togados como nunca antes, esperar o que de u togado que fala mais na mídia que nos autos?

  2. Tenho serias duvidas se esta PEC do foro passa no congresso. Muitos tem problemas com a justiça e tudo farão para se proteger. É por este motivo que me pergunto, vale a pena termos um poder legislativo que nos custa os olhos da cara e nada produz em beneficio da sociedade? Será que nossa democracia, não funcionaria melhor sem este poder, que é corrupto até a alma

  3. Essa sra ja teve oportunidade de fazer algum bem ao pais qdo estava no stj
    Mas preferiu se omitir assim como no cnj e deixou o circo andar. Mas nao perdeu o lanche das 15,00 hrs, nem q tanta mordomia nao era saudavel
    Isso pra alguem q veio de um estado carente de tudo, como a Bahia
    Va dormir e curta dua desonrosa aposentadoria