ACESSE

Foro para Flávio cria 'caos jurídico', diz MP do Rio

Telegram

No pedido enviado ao Supremo para devolver a investigação sobre a rachadinha de Flávio Bolsonaro para a primeira instância, o Ministério Público do Rio de Janeiro afirmou que a decisão que deu ao senador foro privilegiado cria um “caos jurídico”.

Outros investigados vão querer o mesmo, diz o órgão.

“O referido julgamento da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro representou um atentado à própria noção de Estado Democrático de Direito, criando-se um foro único para uma determinada pessoa, o que obviamente será perseguido por inúmeros outros investigados e acusados em todo o país em situações similares, engarrafando o Poder Judiciário com milhares de novos habeas corpus e medidas judiciais diversas, além de causar eventuais retardos à regular tramitação dos procedimentos investigatórios e processos respectivos”, diz a ação.

E mais:

“A manutenção por mais tempo do julgamento acarretará o mais tenebroso de todos os danos, qual seja, a corrosão da força normativa da Lei Fundamental brasileira, com o consequente fortalecimento do sentimento ordinário de impunidade, que leva à descrença no sistema jurídico e nas instituições democráticas.”

Leia mais: O caso Flávio Bolsonaro-Queiroz: até onde a investigação pode chegar? Clique para saber mais

Comentários

  • Alexandre -

    Enjaula logo o cretino.

  • Paulo -

    A banda podre do judiciário, nomeada por esta classe politica corrupta e criminos em troca de garantia de impunidade a seus membros em nada se diferen cia de seus nomeadores. São indecentes e indignos

  • Paulo -

    SUMULA VINCULANTE,NAO PERMITE, JULGAMENTO JA PROFERIDO NO STF, QUE NORMATIVA INSTANCIAS ESPECIAIS, LEI RETROATIVA NAO E COSTITUCIONAL . ACROBACIA JURIDICA.

Ler 57 comentários