ACESSE

Funaro não explicou conexão com "Miquéias"

Telegram

Lúcio Funaro ainda não explicou em sua delação premiada a quem se referem os codinomes “feio” e “jr” em suas planilhas de propina.

Mas a análise da movimentação bancária do corretor indica que ele utilizou as mesmas empresas de fachada de Fayed Traboulsi e Carlos Mazola, alvos da Operação Miquéias, que desbaratou esquema de corrupção nos fundos de pensão municipais.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 12 comentários