FUNARO: “NÃO FAREI DELAÇÃO”

Vallisney de Oliveira manteve a prisão de Lúcio Funaro, após audiência de custódia realizada hoje de manhã. O juiz não se convenceu das alegações da defesa do corretor, que prometeu se afastar das empresas para cuidar da filha recém-nascida e da mãe doente.

Funaro foi preso preventivamente em 1º de julho, na Operação Sépsis. Ele é suspeito de operar para Cunha. Ao deixar a 10a. Vara Federal em Brasília, ele disse que não pretende fazer delação premiada.

“Não cogito fazer delação porque não tenho culpa.”