Funaro: Temer favoreceu banco em troca de recursos de campanha

Michel Temer atuou junto ao Banco Central para favorecer o banco BVA em troca de dinheiro para campanhas eleitorais.

Este é um dos 12 itens da proposta de delação de Lúcio Funaro à PGR que atingem o presidente da República, segundo a Época.

Em 2012, o BC decretou intervenção no BVA.

Em 2014, o BVA acabou quebrando.

Em 2017, na última fase da Lava Jato, o fundador do BVA, José Augusto Ferreira dos Santos, foi preso.

Santos é acusado de operar como lavanderia do PMDB, como Funaro.

Ambos tinham ótimas relações com os chefes do partido.