ACESSE

Fundo gerido pelo BTG é investigado pela PF

Telegram

A PF e o MPF estão investigando o fundo Direcional B do banco BTG Pactual usando como ponto de partida o acordo de delação de Antonio Palocci, informa a Folha.

Em sua colaboração premiada, o ministro da Fazenda de Lula afirmou que, de 2010 a 2012, Guido Mantega, seu sucessor na pasta, passou para o dono do BTG, André Esteves, informações sobre as reuniões do Copom que definiam a taxa básica de juros.

O jornal paulistano assinala que, em 31 de agosto de 2011, o Copom fez um inesperado corte de 0,50 ponto percentual no juro básico –desde janeiro daquele ano, a Selic estava em alta e não havia nenhuma sinalização de redução. Dos 62 economistas ouvidos pela agência Bloomberg, todos apostavam na manutenção da taxa.

O BTG Pactual Direcional B, no entanto, apostou na queda da taxa –e ganhou cerca de R$ 58 milhões, valorização de 30,41% em apenas um dia.

Em outubro do ano passado, O Antagonista mostrou que outros fundos –o Bintang, também gerido pelo BTG, e o R&C– estavam igualmente sob suspeita de ter recebido informação privilegiada sobre a Selic em 2011.

Leia também: O NOVO BOTE EM MORO.

Comentários

  • Jose -

    Nos EUA todos estariam todo mundo em cana.

  • Fernando -

    Mais uma da delação via Google do Palocci, no desespero de provar algum ganho de algum fundo do BTG em alguma reunião do Copom para tentar algum benefício. Patético alguém levar a sério.

  • Luiz -

    Pode prender o André Esteves e depois provar, pois com certeza tem crimes.

Ler 15 comentários