Retrospectiva 2020

Furos de O Antagonista: o esquema de Helder Barbalho

Furos de O Antagonista: o esquema de Helder Barbalho
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Em junho, a Polícia Federal deflagrou a operação Para Bellum, com o objetivo de investigar supostas fraudes em contratos da área de saúde, especialmente em relação à importação de respiradores, no estado do Pará, governado por Helder Barbalho (MDB). 

Em setembro e outubro, O Antagonista obteve, com exclusividade, acesso a detalhes da operação, incluindo a chocante troca de mensagens entre o governador e André Felipe Oliveira, representante da SKN Importadora.

Nas mensagens, o lobista dizia ao medebista que havia acionado Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre para agilizar a liberação do equipamento na China. Para a PF, as mensagens revelavam certo grau de convivência entre os dois“; Ambos se tratam por ‘Amigo’ e invocam essa amizade.” 

Em outra operação, a SOS, desdobramento da Para Bellum, relatórios da PF, também mostrados com exclusividade por O Antagonista, revelaram que o esquema de Barbalho envolveu a impressionante soma de 1,2 bilhão de reais em contratos e que possuía tentáculos em São Paulo

Como se não bastasse, a PF apreendeu na operação um equipamento de espionagem adquirido pela Polícia Civil do Pará e que seria supostamente usado pelo grupo de Helder Barbalho para monitorar os investigadores do esquema de corrupção na Saúde estadual.

O Antagonista apurou que o dispositivo foi vendido pela Suntech, do grupo israelense Verint Systems, que possui contratos com o Exército e vários outros governos estaduais.

Leia mais: Nenhuma outra publicação cobre o STF com a independência, o olhar crítico e as informações de bastidores da Crusoé
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 7 comentários
TOPO