Futuro secretário-geral deve reforçar ‘perfil comercial’ do Itamaraty

O Antagonista apurou que Ernesto Araújo escolheu Otávio Brandelli como secretário-geral por sua expertise em negociações comerciais e pelo perfil ‘executivo’ – desejável para a administração do Ministério das Relações Exteriores.

Além disso, Brandelli é da mesma geração de Araújo, o que reforça a mensagem de renovação da política externa.

O inimigo número 1 de Sergio Moro. Leia AQUI

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Todo embaixador e cônsul tem a premissa de ser um vendedor do produto Brasil e garantir a segurança do brasileiro fora do país e não um passeador com residência de luxo paga pelo povo.

Ler mais 7 comentários
  1. Todo embaixador e cônsul tem a premissa de ser um vendedor do produto Brasil e garantir a segurança do brasileiro fora do país e não um passeador com residência de luxo paga pelo povo.