Fux impede que condenados por corrupção sejam soltos por causa da Covid-19

Fux impede que condenados por corrupção sejam soltos por causa da Covid-19
Foto: Nelson Jr./SCO/STF/CP

Luiz Fux prorrogou a recomendação do CNJ que orienta juízes a soltarem presos pertencentes a grupos de risco da Covid-19, mas excluiu da norma condenados por corrupção, organização criminosa, crimes hediondos e por violência doméstica.

A norma, aprovada em março pela gestão de Dias Toffoli, possibilitou, por exemplo, a prisão domiciliar de Eduardo Cunha, João de Deus, Geddel Vieira Lima, Jorge Picciani, por exemplo.

Todos eles não teriam sido beneficiados caso a alteração feita hoje vigorasse desde o início.

“O Estado brasileiro não pode retroceder no combate à criminalidade organizada e no enfrentamento à corrupção”, considerou o ministro na portaria.

Ela valerá até março do ano que vem, mas “com possibilidade de prorrogação ou de antecipação do seu término”. Foi o primeiro ato do ministro como novo presidente do Conselho Nacional de Justiça.

Leia mais: O erro dos governadores na pandemia. Clique aqui para ler mais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 73 comentários
TOPO