Geddel falaria “até com o presidente da República”

Marcelo Calero afirmou na entrevista à Folha que Geddel o abordou dizendo que, se fosse necessário, falaria “até com o presidente da República”.

Mais:

“Eu comecei a sofrer pressões para enviar o caso para a AGU. A informação que eu tive foi que a AGU construiria um argumento de que não poderia haver decisão administrativa [do Iphan]. Isso significa que o empreendimento seguiria com o parecer do Iphan da Bahia, que liberava a obra.”

O Iphan da Bahia, segundo Calero, está nas mãos de Geddel.

A advogada-geral da União é Grace Mendonça. Ela foi posta lá para “construir argumentos”?

Faça o primeiro comentário