ACESSE

General diz que é preciso ver os "interesses políticos" na divulgação do documento da CIA

Telegram

Ao lado de Raul Jungmann, o general Carlos Alberto Santos Cruz, secretário nacional da Segurança Pública, também disse que a imagem das Forças Armadas não foi arranhada pelo documento da CIA que diz que Ernesto Geisel deu continuidade à política de execuções de inimigos do regime militar. E acrescentou:

“Até mesmo porque tem de ler com bastante profundidade esse documento e não ficar só na manchete, né? Esse ano é um ano eleitoral, uma eleição que vem com pesquisas… Foram publicadas várias notícias de que um número maior de militares está participando nessa próxima eleição. Então tudo isso aí. Tem que ver também interesses políticos nesse tipo de divulgação. Tem que ver o contexto político em que isso aí está colocado.”

BRASÍLIA, DF, 21.05.2019: JAIR-BOLSONARO-DF - Carlos Alberto Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo - O presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de hasteamento da bandeira do Brasil no Palácio da Alvorada, em Brasília, nesta terça (21). O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, participam da cerimonia. (Foto: Mateus Bonomi/AGIF/Folhapress)

O homem mais poderoso do Brasil está sob pressão. Saiba por quê. Leia mais

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 111 comentários