General Heleno: prisão de militar às vésperas do G20 foi "falta de sorte"

O general Augusto Heleno, que acompanha Jair Bolsonaro em Osaka (Japão) para a reunião do G20, disse nesta quinta-feira que o episódio da prisão do militar com 39 quilos de cocaína em um avião da FAB foi uma “falta de sorte”, justamente por ter ocorrido às vésperas do encontro dos principais líderes mundiais.

“Podia não ter acontecido, né? Foi uma falta de sorte acontecer exatamente na hora de um evento mundial e acaba tendo repercussão que poderia não ter tido. Foi, realmente, um fato muito desagradável”, disse o ministro do GSI.

Augusto Heleno foi perguntado se houve alguma falha de segurança que permitiu a entrada do militar no avião com a droga.

“Todo mundo tem a sua mala revistada, inclusive nós, do presidente da República ao ajudante de ordem. O que vocês precisam entender é que esse sargento era da comissaria, ele chega muito antes. Você não tem efetivo para manter todo tempo um esquema de vigilância.”

Comentários

  • CLECIO -

    opa se entregou huauahuauha azar do Bozo que prenderam seu pozinho

  • Herberto -

    É um critério desgastado. Boa desculpa ou o hábito das cumplicidades com infratores, como a maioria do congresso em troca de votos pela sua previdência corporativa? Procure sua turma, Heleno...

  • Brasil -

    Sério, "general" HELENO? Então, com a sua declaração, podemos concluir que o NORMAL ERA TER PASSADO COM TUDO! PASSAR OS 39 KG DE COCAÍNA! Esse "general" é incrível! Pátria Amada Brasil!

Ler 50 comentários