General Mourão: um vice com ideias próprias

O general Hamilton Mourão começou o ano como possível candidato a deputado federal pelo Rio de Janeiro e terminou como vice-presidente eleito.

Mourão não foi a primeira opção de Jair Bolsonaro.

A advogada Janaína Paschoal, autora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, o “astronauta brasileiro” Marcos Pontes e o príncipe Luiz Philippe de Orléans e Bragança, fundador do movimento antipetista Acorda Brasil, estavam no topo da lista de Bolsonaro.

No entanto, as opçõs foram caindo e o general e o capitão acertaram os ponteiros. O anúncio oficial foi feito no dia 5 de agosto.

Ungido candidato, Mourão começou a deixar bem claro que não seria um vice decorativo.

Não sou ventríloquo de Bolsonaro”, declarou o general.

Durante a campanha, quando Bolsonaro se recuperava do atentado, Mourão defendeu a ideia de que ele, Mourão, deveria ocupar o lugar do cabeça de chapa nos debates de TV; o PSL vetou a ideia.

Em entrevista à revista Crusoé, o general disse que, atualmente, não há espaço para intervenção militar, mas ela poderia ocorrer se o Judiciário “não cumprir mais a sua missão porque está sendo atacado”.

No seu momento mais Mourão, em palestra no Rio Grande do Sul, ele afirmou que o 13º salário e o pagamento do adicional de férias no Brasil são “jabuticabas”

Confusão armada, com o PT explorando o fato eleitoralmente, o general recuou — a sua fala não passara de “força de expressão”.  Mas Bolsonaro cancelou a agenda do vice e chegou a pedir que ele ficasse quieto até o 1º turno.

Após a vitória no 2º turno, Bolsonaro e Mourão apararam as arestas — o presidente eleito disse que o vice, agora, pode “falar o que quiser”, recomendando uma postura discreta.

No final do ano, ele deu nova entrevista à Crusoé. Mourão definitivamente não será um vice decorativo.

Comentários

  • Nelson -

    kkkkkkkkkkk ele intimida os petralhas mais que o capitão..........

  • josel@petrolinked.co -

    Do ITA. IMA e AMAN, saem nossos altos comandantes das Forças Armadas, enquanto da PUC, USP e outras universidades, saem os nossos políticos, dos quais, o Povo sabe quem tem competência e patriotism

  • joaquim -

    A independência do Mourão é um alento para o Hoverno que se inicia envolvido em maracutaia familiares inexplicáveis, até o momento

Ler 20 comentários