ACESSE

Gerente da Dersa se recusou a assinar aditivos e perdeu o cargo

Telegram

O Estadão conta que a Operação Pedra no Caminho, deflagrada hoje pela PF e pela força-tarefa da Lava Jato em SP, foi impulsionada pelas revelações de duas testemunhas importantes.

João Bosco Gomides, funcionário de empresa ligada à construção do Rodoanel Norte, e Emílio Squarcina, ex-gerente de Obras da Dersa, procuraram a PF e o MPF para relatar suspeitas de fraudes milionárias nas obras.

Squarcina coordenava os fiscais de cada lote das obras do Rodoanel. Em 2015, ele foi afastado do cargo por não concordar com alterações em contratos e ajustes em valores.

“Ele teria que assinar os novos aditivos. constatando que eram aditivos fraudulentos, desnecessários, ele se negou a assinar”, relatou a procuradora Thaméa Danelon.

Comentários

  • E.Lacerda -

    Qual é a novidade ?Essa tal DERSA é um antro de corrupção desde q Cabral descobriu o Brasil.

  • Chris -

    No pais de corruptos é assim, honestos perdem o emprego.

  • Vovó -

    Psdb e Psb serão varridos das Eleições 2018 ou ainda vão sustentar essa gente? Islândia x Croácia seriam a Lava Jato da Copa?

Ler 38 comentários