Gil Castello Branco: “Trata-se de grave precedente e indesejável retrocesso autoritário”

Gil Castello Branco, fundador da ONG Contas Abertas, também criticou duramente a censura imposta pelo ministro Alexandre de Moraes contra a Crusoé e O Antagonista.

“Como cidadão, que há décadas atua na defesa dos princípios democráticos e a favor da transparência, fico estarrecido ao ver o STF valer-se da censura para impedir a circulação de matéria baseada – segundo a revista afirmou e reiterou- em delação premiada de pessoa identificada. Em tese, se o fato existiu (a referência na delação ao ex-Advogado Geral da União) a informação não precisaria sequer ser absolutamente verdadeira, pois a velocidade da notícia não é a mesma das apurações no Judiciário.”

Ele cita decisão do STJ, segundo a qual é sempre “recomendável que se dê prevalência à liberdade de informação e de crítica”.

O próprio STF tem jurisprudências no mesmo sentido.  “A censura, na minha opinião e, ao que parece na opinião do STJ e até o último fim de semana do STF , é descabida. Trata-se de grave precedente e indesejável retrocesso autoritário, em se tratando da Suprema Corte.”

NOVO ANTAGONISTA: Vamos transformar a sua maneira de acompanhar o noticiário político. Saiba mais

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Massaaki disse:

    É o medo, pavor, desespero de que as investigações processuais continuem, que a imprensa apure, que o delator fale mais e mostre mais, elucide melhor. Dedure com provas alguém ou mostre o caminho.

Ler comentários
  1. Eduardo disse:

    Ministrinho dias e moraeszinho, aqui não é venezuela. Nós, povo brasileiro, estamos prestes a explodir com vcs...

  2. Edson disse:

    Lord Valdemort mostrando as garras. Há tempos está provando seu deslumbramento com o cargo. Se acham intocáveis.

  3. Margarida disse:

    Será que pretendem reabrir o DOPS tb. ?? Vergonha quererem esconder seus crimes .

  4. ana disse:

    Isto me faz lembrar de Bento Carneiro, vampiro brasileiro. Guardiães da Constituição ? KKK

  5. Gustavo disse:

    Quem acha bonito criminalizar discurso, as tais das fobias, homofobia, xenofobia, etc,é responsavel por isso. Daqui a pouco vão criminalizar discurso que desrespeite as instituições.

  6. SPA disse:

    Num Supremo totalmente desmoralizado , Moraes jogou a pá de cal que faltava . Adeus Tofolli ; Adeus Gilmar; Adeus Moraes " Adeus Whisky ; Adeus MAM ....

  7. JOSÉ disse:

    O precedente foi a censura do Estadão, com relação ao Sir "Ney"... Depois disso, vira "fato corriqueiro".

  8. elias disse:

    Tic tac , tic tac , tic tac o relógio está correndo em direção ao fim desse STFINHO local onde mais se defende bandidos nesse BRASIL , Artigo 142 URGENTEMENTE , o STFINHO é uma VERGONHOSA VERGO

  9. EDUARDO disse:

    Venezuela de direita - mais que maduro - podre. Judiciário prevalece. Militares já estão dentro. Turismo ameaçador. Laranjas podres. Milícianos têm o estado do RJ e avançam pra tudo dominar. Is

  10. Marcelo disse:

    Quando a TOGA se corrompe, a FARDA é a solução. Os mortadelas - comparsas dos juizecos - continuam calados...

  11. ReginaC disse:

    Parece que o objetivo real da censura eh dar um jeito de fazer com que os jornalistas revelem a fonte dessa informação. Será?

  12. GILMAR disse:

    Tenho pena de uns 4 ministros desse pobre stf,,tenho pena também daquele advogado, aquele que foi preso por ter vergonha desse STF, penso que agora ele deve está doente de tanta vergonha...

    1. Todos estão envolvidos !!! Se houvesse algum sério , se rebelaria.

  13. Leo disse:

    06132174200 liguem pois o supremo está coletando número de ligações.

  14. Míriam disse:

    A censura imposta configura confissão de culpa. Se não fosse culpado, para que censurar a revista ???

  15. Cleide disse:

    Alexandre de Moraes, Toffolli e que tais estarão indelevelmente ligados a figuras como JOSÉ SILVÉRIO DOS REIS. Vida longa a quadrilha da toga.

  16. Régis disse:

    Censurar a imprensa não seria o mesmo que "destruir provas?"