Gilmar anula buscas com base na delação de Palocci

Gilmar Mendes suspendeu os efeitos de uma operação de busca e apreensão feita no ano passado na casa do banqueiro André Esteves e na sede de seu banco, o BTG Pactual.

De acordo com a decisão do ministro do STF, a medida foi baseada exclusivamente na delação de Antonio Palocci, o que, segundo Gilmar, a lei proíbe.

A busca havia sido autorizada por Gabriela Hardt, juíza da 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná.

Como já publicamos, um relatório da PF sobre a delação, assinado pelo delegado Marcelo Daher, afirma que não há provas sobre o que Palocci falou a respeito de Esteves.

Segundo a defesa do ex-ministro da Fazenda, ele apresentou provas, e os fatos não deixam de ser verdadeiros por serem de difícil comprovação.

Além disso, a busca foi autorizada antes da Lei Anticrime quando podia ser deferida com base apenas na palavra do colaborador, justamente para obter mais provas.

Leia mais: CENSURA À IMPRENSA: O EXEMPLO QUE VEM DO SUPREMO
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 61 comentários
TOPO