ACESSE

Gilmar cita 'trágico exemplo de Meurer' ao manter Queiroz em domiciliar

Telegram

Para justificar a prisão domiciliar concedida a Fabrício Queiroz, Gilmar Mendes usou “o trágico exemplo do ex-Deputado Federal Nelson Meurer”, o primeiro político condenado na Lava Jato pelo Supremo. Ele morreu neste ano na cadeia com Covid-19.

Gilmar Mendes, que já havia criticado a manutenção dele na prisão, destacou na decisão de hoje que a defesa do ex-deputado fez diversas advertências sobre os riscos que corria na Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão.

Antes, Gilmar Mendes descreveu minuciosamente o tratamento de Fabrício Queiroz contra um câncer no intestino. Depois, concluiu:

“No caso em análise, considerando a fragilidade da saúde do paciente, que foi submetido, recentemente, a duas cirurgias em decorrência de neoplasia maligna e de obstrução de colo vesical, entendo que a substituição da prisão preventiva pela prisão domiciliar é medida que se impõe.”

Leia mais: Foro privilegiado: o STF dividido de novo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 61 comentários