Gilmar descarta prova emprestada e opta pelo 'silêncio emprestado'

Na decisão que arquivou o inquérito dos “meninos da floresta”, Gilmar Mendes explicou que, depois de mais de um ano de investigação, PF e PGR não conseguiram reunir elementos suficientes “para que o destino das apurações fosse decidido”.

E descarta a possibilidade de interrogatório de Maurício Marucci, apontado como o intermediário da propina para as campanhas de Jorge e Tião Viana em 2010 e 2014.

“Pende a inquirição dessa pessoa que, como aponta a defesa, é investigada em outros feitos e vem optando pelo direito ao silêncio”.

Conheça Por Dentro O Estrago Que A Esquerda Fez na Venezuela. Poderia Ser No Brasil. MAIS AQUI

Segundo Gilmar, o “suposto responsável pelo recebimento da vantagem goza da prerrogativa de manter-se em silêncio. Não há como o forçar a depor.”

Para o ministro, aliás, também não haveria necessidade de solicitar a perícia no sistema de propina da Odebrecht, pois as provas só poderiam “reforçar” as informações constantes dos autos e não “produzir prova nova”.

Leiam também: Arquivamento de ofícioQuem quer investigar?

Comentários

  • Nando -

    Passei aqui pra dizer a todos vocês que tão cedo não irei retirar meu putrefather do meu brioco por mais que esteja apodrecendo lá dentro! Logo irei enfiar o meu professor Olavo de Carvalho lá também, já que ele já está com um pé na sepultura.

  • Olavo -

    Passei aqui pra dizer aos meus seguidores e puxa-sacos como o senhor Flávio Azambunda Martins o Flávio Morgenstern que a Pepsi Cola usa células de fetos abortados como adoçante nos refrigerantes. Uso fraldas geriátricas e estou todo cagado aqui em casa, minha mulher saiu. Alguém avise ela?

  • Luis -

    O advogado do pt Dias Toffilo, vai soltar todos , inclusive o lula seu chefe. Agora quero ver se os gemerais estão do nosso lado, ou só é fogo de palha.

Ler 52 comentários