Gilmar: “É preciso colocar freios (nos procuradores)”

Gilmar Mendes, informa o Estadão, afirmou que “é preciso colocar freios” na atuação dos procuradores da República, referindo-se à Lava Jato.

O ministro está indignado com o vazamento de informações sobre a delação da OAS.

Vejam o que disse Gilmar:

“O fatiamento por ele (Toffoli) decretado e esse habeas corpus no caso do Paulo Bernardo (ex-ministro preso em julho na Operação Custo Brasil, mas solto por ordem de Toffoli), isso animou os procuradores a colocar artigo no jornal e coisas do tipo.”

“Como eles (procuradores) estão com o sentimento de onipresentes, decidiram fazer um acerto de contas.”

“Decidiram vazar a delação, tem que se colocar um limite nisso.”

“Quando você tem uma concentração de poderes você tende a isso, a que um dado segmento, que detém esse poder, cometa abusos.”

“Não há nenhuma censura imputável ao ministro Toffoli, mas tudo indica que ele está na mira dos investigadores. Em razão, provavelmente, de decisões que (Toffoli) tem tomado e os têm desagradado.”