Gilmar e a 'projeção indevida' da Lava Jato

Gilmar Mendes falou com Roberto D’Avila, em entrevista que está sendo exibida pela GloboNews agora, às 21h.

Na entrevista, o ministro do STF disse que a Lava Jato, “bem-sucedida” e “digna de elogios”, também levou “ao desaparecimento da classe política, dos partidos políticos”.

“Ela passou a ter uma lógica própria. Veja que a Lava Jato passou a propor medidas legais, questionar medidas judiciais, a discutir aspectos que transcendem de muito a sua própria competência, a sua própria atribuição, a atribuição dessa chamada força-tarefa”, declarou Gilmar.

“Sobretudo, me parece que o desaparecimento do Congresso com seu papel de contemporização, de moderação e de enfrentamento muitas vezes levou [a] que (…) a Operação Lava Jato ganhasse uma projeção talvez exagerada e claramente indevida. Mas ela ganhou também popularidade”, acrescentou o ministro.

Comentários

  • Luciano -

    Realmente, Gilmar deve estranhar que se faça justiça com os “colarinhos brancos”, ele “nunca antes na história” viu isso acontecer no Brasil, só via justiça para o povo..., mas esquece que ninguém está acima da lei, - nem ele próprio... Deveria dizer que enfim MORO em um país que começa a ser justo!

  • Mauricio -

    Na cabeça doentia de Gilmar a Lava Jato não pode ficar famosa por prender bandidos, mas ele pode por soltà-los.

  • Marcelo -

    Este senhor é uma vergonha. Defensor dos bandidos de colarinho branco, bastião da impunidade.

Ler 159 comentários