Gilmar manda ação contra Baldy para a Justiça Eleitoral

Gilmar manda ação contra Baldy para a Justiça Eleitoral
Foto: Lúcio Távora / MCIDADES

Depois de soltar Alexandre Baldy e suspender o processo contra ele na Lava Jato, Gilmar Mendes agora determinou que o caso deve ir para a Justiça Eleitoral de Goiás.

Caberá ao juiz eleitoral que receber o caso avaliar se mantém ou anula as provas colhidas em agosto, quando foi preso — ele é suspeito de receber ao menos R$ 2,6 milhões em propinas.

“Vislumbro constrangimento ilegal manifesto, a justificar excepcional concessão da ordem”, escreveu Gilmar Mendes na decisão.

Baldy — que retornou no início do mês à Secretaria de Transportes no governo João Doria, em São Paulo — foi acusado de receber propina em três esquemas.

Em 2014, ele teria recebido R$ 500 mil para liberar pagamentos atrasados do governo de Goiás a uma organização social que geria o Hospital de Urgência da Região Sudoeste.

Entre 2015 e 2018, segundo o MPF, recebeu R$ 960,4 mil para direcionar à empresa Vertude licitação da Junta Comercial de Goiás. A empresa ainda teria pago a ele R$ 1,1 milhão, entre 2016 e 2018, para ganhar um contrato na Fiocruz.

Leia mais: Combo Crusoé e O Antagonista+: comece a ler por apenas R$ 1,90
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 37 comentários
TOPO