ACESSE

Gilmar, enfim, condena invasão de celulares

Telegram

Depois de atacar duramente a Lava Jato nos últimos dias, o ministro Gilmar Mendes finalmente resolveu criticar o crime de invasão do celular de Deltan Dallagnol e roubo de mensagens privadas trocadas com Sergio Moro e integrantes da força-tarefa.

“Isso precisa [ser investigado], independentemente de quem se tratasse, são autoridades. E claro, acho que todos nós devemos nos preocupar com essa questão da segurança. De fato, é preciso tomar providências em relação a isso, isso é extremamente sério”, disse a O Antagonista.

O ministro parece ciente do risco de hackers invadirem também sistemas internos dos tribunais, nos quais juízes elaboram votos.

“Veja o tumulto que pode ocasionar uma invasão nessa área. Nós preparamos votos também no sistema, mas muitas vezes deixamos votos em elaboração e podemos mudar esse voto. Imagine o hackeamento ou a violação no meio da preparação de um voto. Isso pode ter resultados trágicos, passa a ter valor de mercado. Isso é muito grave.”

Em anos recentes, Gilmar foi flagrado em conversas com investigados da Justiça, como Aécio Neves e Silval Barbosa – conversas interceptadas legalmente. Em 2008, um grampo ilegal captou diálogo entre o ministro e o então senador Demóstenes Torres.

O roubo e o vazamento de mensagens trocadas por Moro e os procuradores da Lava Jato é grave. Muito grave. SAIBA MAIS AQUI

Comentários

  • Ana -

    Era uma vez.... um juiz que merecia ser escutado.... mas o “Precioso “ o transformou num monstrengo ... que lembra o Gollum

  • Lucia -

    Imaginem se o celular de Gilmar fosse hackeado! Meu Deus!

  • Rosa -

    ele repensou a questão: se o seu celular fosse haqueado não iria sobrar viva alma sem conversas comprometedoras.

Ler 402 comentários