Gilmar Mendes nega volta da MP da Liberdade Econômica à Câmara

Gilmar Mendes decidiu hoje que a MP da Liberdade Econômica, aprovada pelo Congresso, não deve voltar à Câmara.

A decisão foi publicada hoje, e se refere ao pedido de líderes do MDB, DEM e PP na Câmara para que a MP voltasse à Casa, já que o Senado havia retirado do texto dispositivo que liberava o trabalho aos domingos.

“Entretanto, se é certo que a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal reconhece a possibilidade de avançar na análise da constitucionalidade da administração ou organização interna das Casas Legislativas, também é verdade que isso somente tem sido admitido em situações excepcionais, em que há flagrante desrespeito ao devido processo legislativo constitucional ou aos direitos e garantias fundamentais, sob pena de interferência indevida do Poder Judiciário no âmbito de atuação do Poder Legislativo”, disse Gilmar na decisão.

Faça de conta que a Lava Jato não existiu. É isso que os inimigos da operação querem. Leia mais

O relator da MP na Câmara, Jerônimo Goergen, comemorou a decisão: “A decisão foi importante, porque se tivéssemos de voltar a apreciar a matéria, a medida provisória corria sérios riscos de caducar. Foi uma enorme repercussão, a sociedade tem uma enorme expectativa na lei, e eu espero que o Bolsonaro não demore para sancionar.”

Comentários

  • Silenio -

    Um presidente bandeado, stf, mp, senado, câmara, agora tá tudo dominado e todo mundo blindado, ninguém ferra mais ninguém. Será a paz, o silencio e a "lisura" entre as Instituições no País.

  • Silenio -

    Mazinho do STF enturmado. Ministério Público, Senado, Câmara, stf, e um presidente

  • Luix -

    Vá para a P.Q.P. Gilmar Mendes K.nalha!

Ler 27 comentários