Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Girão suaviza Bolsonaro e pede que PGR investigue possível prevaricação da CPI

Em defesa do presidente da República, o senador que se declara independente disse que "o governo federal não gere sozinho o sistema de saúde brasileiro"
Girão suaviza Bolsonaro e pede que PGR investigue possível prevaricação da CPI
Reprodução/TV Senado

O senador Eduardo Girão (foto), do Podemos do Ceará, que se declara independente, criticou o relatório final apresentado por Renan Calheiros (MDB) à CPI da Covid.

Em seu voto em separado, lido em parte na sessão em andamento, Girão quis tirar o foco de Jair Bolsonaro e pediu que a Procuradoria-Geral da República (PGR) investigue possível crime de prevaricação por parte da CPI por não ter aprofundado investigações de corrupção nos estados em meio à pandemia.

Ele afirmou que a CPI “entrega à nação um relatório parcial, incoerente e voltado para o desgaste de um Governo Federal com vistas ao pleito eleitoral, sem investigar os desvios ocorridos em estados e municípios”.

Girão disse também que a pandemia “era o momento de um discurso de união para a Nação, conclamando todos os brasileiros para o combate ao vírus devastador que ainda assola nossa sociedade”. Mas o senador, criticando João Doria, por exemplo, acrescentou que a postura errada “não foi exclusiva do Presidente da República”, a despeito de concordar que “faltou empatia” por parte de Bolsonaro, como registramos.

“O Governo Federal não gere sozinho o sistema de saúde brasileiro, mas em conjunto com estados e municípios”, disse Girão outro trecho do relatório.

Leia clicando aqui a íntegra do relatório em separado apresentado pelo senador Eduardo Girão.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO