ACESSE

Gleisi Hoffmann e a política da histeria

Telegram

A agitadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT, teve um 2019 bastante… agitado.

Logo no começo do ano, a deputada participou da posse do ditador Nicolás Maduro — como revelado por O Antagonista, a petista tomou sozinha a decisão de ir até a Venezuela. Quem não gostou da ideia no partido preferiu ficar quieto para não polemizar com a chefe.

A despeito de um movimento de uma ala de dirigentes petistas para destroná-la da presidência do PT, Gleisi foi reconduzida ao posto por ordem de Lula, que não queria Fernando Haddad no comando do partido.

Lula escolheu Gleisi para “animar a tropa“. E foi o que ela fez.

Em 2019, a deputada ficou livre para falar e fazer as barbaridades de sempre.

Acusou Sergio Moro de corrupção e pediu a prisão do ex-juiz.

Disse que o ministro da Justiça levou um “bandido” para a Presidência da República, em referência a Jair Bolsonaro.

Enquanto os venezuelanos passavam fome, criticou a ajuda humanitária oferecida ao país.

Na Câmara, defendeu a proposta que aumenta a farra com o nosso dinheiro.

Com bonezinho da CUT, protestou na Esplanada contra o governo Bolsonaro e pediu a soltura de Lula. E festejou, é claro, quando o STF revogou a prisão após condenação em segunda instância — decisão que tirou o chefão de Gleisi da cana e abriu caminho para que outros 148 mil criminosos sejam libertados.

Novas complicações surgiram no horizonte da presidente petista.

Em depoimento à Polícia Federal, Antonio Palocci afirmou que a Odebrecht repassou R$ 2 milhões a Gleisi, via caixa 2, na campanha de 2010, quando foi eleita senadora pelo Paraná. A OAS, de Léo Pinheiro, mais R$ 800 mil. E a Camargo Corrêa, R$ 1 milhão.

Com Lula solto, Gleisi disse que o partido adotaria retórica “radical” contra o governo: “Tem que ser um discurso ofensivo, para falar com o povo que está sofrendo”.

Ela defendeu, ainda, que o PT lançassse as bases daquilo que ela chamou de “a mais firme oposição” ao governo Bolsonaro:

“Não é um discurso de moderação, é um discurso radical contra a retirada de direitos.”

É a política da histeria. Agite bem e quem sabe o Lula vem.

A PF concorda com Lula: Lulinha é um "fenômeno" dos negócios... Mais aqui

Comentários

  • Paulo -

    Essa mulher simplesmente é uma desqualificada ....

  • Herculano -

    kkkkkkkkkkkkk, ela está delirante. Esse discurso não se aplica mais.

  • Alexandre -

    Gleisi, eu te amoooooooooo. Essa mulher é porreta demais, sabe descer o sarrafo nos bozomonions e na banda podre do judiciário e mp, me divirto como o povo se dói com ela, kkkkkkkkkk

Ler 7 comentários